"VOCÊS, TAMBÉM, COMO PEDRAS VIVAS, DEIXEM QUE DEUS OS USE NA CONSTRUÇÃO DE UM TEMPLO ESPIRITUAL ONDE VOCÊS SERVIRÃO COMO SACERDOTES DEDICADOS A DEUS. E ISSO PARA QUE, POR MEIO DE JESUS CRISTO, OFEREÇAM SACRIFÍCIOS QUE DEUS ACEITE." 1Pe 2:5

14 janeiro 2011

O CESTO E A ÁGUA

Dizem que isto aconteceu em um mosteiro chinês muito tempo atrás.
Um discípulo chegou para seu mestre e perguntou:
“Mestre, por que devemos ler e decorar a Palavra de Deus se nós não conseguimos memorizar tudo, e com o tempo acabamos esquecendo? Somos obrigados a constantemente decorar de novo o que já esquecemos”.
O mestre não respondeu imediatamente ao seu discípulo. Ele ficou olhando para o horizonte por alguns minutos e depois ordenou ao discípulo: “Pegue aquele cesto de junco, desça até o riacho, encha o cesto de água e traga até aqui”.
O discípulo olhou para o cesto sujo e achou muito estranho a ordem do mestre, mas, mesmo assim, obedeceu. Pegou o cesto, desceu os cem degraus da escadaria do mosteiro até o riacho, encheu o cesto de água e começou a subir de volta. Como o cesto era todo cheio de furos, a água foi escorrendo e quando chegou até o mestre já não restava nada. O mestre perguntou-lhe: “Então, meu filho, o que você aprendeu?” O discípulo olhou para o cesto vazio e disse: “Aprendi que cesto de junco não segura água”. O mestre ordenou-lhe que repetisse o processo de novo. Quando o discípulo voltou com o cesto vazio novamente, o mestre perguntou-lhe: “Então, meu filho, e agora, o que você aprendeu?” O discípulo novamente respondeu com sarcasmo: “Que cesto furado não segura água”. O mestre, então, continuou ordenando que o discípulo repetisse a tarefa. Depois da décima vez, o discípulo estava desesperadamente exausto de tanto descer e subir as escadarias. Porém, quando o mestre lhe perguntou de novo: “Então, meu filho, o que você aprendeu?” O discípulo, olhando para dentro do cesto, percebeu admirado: “O cesto está limpo! Apesar de não segurar a água, a repetição constante de encher o cesto acabou por lavá-lo e deixá-lo limpo”. O mestre, por fim, concluiu: “Não importa que você não consiga decorar todas as passagens da Bíblia que você lê, o que importa, na verdade, é que no processo de você ler diariamente a Bíblia, a sua mente e a sua vida fiquem limpas diante de Deus pela palavra em nós implantada.” Esta história ilustra o que o apóstolo Paulo queria transmitir quando escreveu aos Romanos 12.2, “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente.” (Rm 12.2.)
As mensagens do mundo são constantemente repetidas a fim de serem inculcadas em nossas mentes. Por isso a única maneira de limparmos a nossa mente das “sujeiras mundanas”, é por meio da Palavra de Deus. Mesmo que não concordemos com as mensagens do mundo, nosso coração pode ser tornar endurecido ou mesmo inflexível mediante o que o mundo promove. Porém, Paulo adverte: não sejamos moldados por esses padrões, mas renovemos a nossa mente. E o que é renovar? É fazer com que algo velho volte a ser novo; é restaurar a forma de algo que foi deformado. Muitas vezes estamos sujos diante de Deus, e somente a Água do Espírito pode nos limpar. Precisamos permitir que esta Água lave todo nosso ser para que vivamos uma vida reta e santa diante do nosso grande e poderoso Deus.

Atos Hoje Ano 43 Edição 11

Nenhum comentário:

Postar um comentário