"VOCÊS, TAMBÉM, COMO PEDRAS VIVAS, DEIXEM QUE DEUS OS USE NA CONSTRUÇÃO DE UM TEMPLO ESPIRITUAL ONDE VOCÊS SERVIRÃO COMO SACERDOTES DEDICADOS A DEUS. E ISSO PARA QUE, POR MEIO DE JESUS CRISTO, OFEREÇAM SACRIFÍCIOS QUE DEUS ACEITE." 1Pe 2:5

15 maio 2012

O MINISTÉRIO PASTORAL

O presente estudo visa abordar um tema que é de extrema relevância para a vida da igreja local. Trata-se da real importância do papel do Pastor na vida da igreja.
A Bíblia nos mostra que uma igreja cumpre seu propósito, quando a mesma Glorifica a Deus, ( Mt. 5.16 ) e Proclama o nome de Cristo às Nações. (At. 1.8)
Dentro desta visão bíblica, entendemos então, que cada igreja local precisa ser preparada para se tornar, dentro das características das igrejas do Novo Testamento:
"1- Auto governada, sob a liderança de Deus;
2- Auto sustentada, sob a liderança de Deus;
3- Auto propagadora, sob a liderança de Deus."
Em todo este processo é fundamental o papel do pastor que pastoreia de forma eficaz, na dependência do Espírito Santo, levando esta igreja a atingir seu propósito.

O Chamado
O Ministério pastoral tem sua origem no coração de Deus. (Ef. 4.11) É Ele quem vocaciona vidas para exercerem tão nobre tarefa. Uma vez vocacionado deve então o servo de Deus obedecer e se entregar a Deus para ser capacitado e cuidar do rebanho do Senhor.

A Capacitação
O pastor José Pontes Filho, diretor do Ministério Juvep, em seu livro “À Obra de Deus Jamais Faltarão Recursos”, expõe a questão da capacitação, onde são abordados dois tipos de preparo: O Preparo Humano e o Preparo de Deus.
Quando se fala de preparo humano, trata-se do envolvimento do vocacionado numa Faculdade Teológica (Seminário), cursos de reciclagem e outros que sem dúvida trazem suporte para um melhor desempenho na obra do Senhor. É importante lembrar que para um vocacionado ser consagrado ao Ministério Pastoral, o mesmo não precisa necessariamente passar por um curso teológico. Contudo, Deus tem suprido sua Igreja com ótimos Institutos e Faculdades Teológicas.
Se o vocacionado tem condições de se ingressar num destes cursos, entendo ser o ingresso uma atitude de Fidelidade e Submissão a Deus que o supriu com tal bênção. Mas também, há o preparo de Deus, onde é abordada a maneira especial que Deus trata o vocacionado em questões íntimas e pessoais. Este tratamento está relacionado diretamente à ida do Obreiro para o Ministério (Campo). Em muitos casos o vocacionado termina o curso teológico, e ainda tem de esperar muito tempo até Deus o enviar. Só será bem sucedido ministerialmente o candidato que for aprovado também na Faculdade Divina.

A CONSAGRAÇÃO E O ENVIO
É responsabilidade da igreja local a Consagração e o Envio do Obreiro. ( I Tm 4.14 ) A igreja como corpo de Cristo através de seu Presbitério deve reconhecer, avaliar, consagrar e enviar o obreiro ao Ministério. Da mesma forma, deve também ter a igreja muito cuidado na consagração dos futuros obreiros. Em I Tm 5.22, Paulo alerta a Timóteo que era Pastor, para que não consagrasse precipitadamente vidas para o Ministério. Caso contrário, seria cúmplice dos pecados de tais obreiros.

O Sustento
É de responsabilidade da igreja, quanto a necessidade do Pastor, prover um sustento digno para o seu Pastor. (I Tm 5.17,18)
Há muitas igrejas que não se preocupam com o sustento do pastor. A realidade dos mesmos é a de tentar pastorear o rebanho e paralelamente estarem envolvidos com o trabalho secular. Na maioria dos casos o Ministério Pastoral fica prejudicado e naturalmente a igreja não atinge o seu propósito. O Problema em sua maioria não é falta de condição para sustentar o obreiro, mas sim, falta de visão bíblica. O obreiro estando envolvido integralmente no Ministério, sem dúvida estará apresentando um trabalho profícuo e toda a igreja será grandemente abençoada.

Na Dinâmica da Igreja
O papel do Pastor é também muito importante no direcionamento da vida diária da igreja. Na dinâmica local da igreja, alguns pontos importantes devem ser mencionados. São estes de responsabilidade do pastor local.

1- O Ministério da Palavra
É de responsabilidade do Pastor local, o Ministério da Palavra. Ele deve ter um pleno conhecimento das necessidades do seu rebanho e aplicar com eficácia a Palavra de Deus, através das mensagens e primar pelo crescimento da igreja. ( I Tm 4.1-5 )
Contudo, é importante que o pastor local tenha a visão de treinar e usar os obreiros de sua igreja na Palavra. Ele deve, portanto, sempre que possível dar oportunidades para que vidas se levantem e exerçam o dom da Palavra.

2- Visitação Pastoral
Não se concebe um Ministério Pastoral sem a ação das visitas que devem ser exercidas pelo pastor local. “Mesmo num tempo em que é difícil encontrar as pessoas em casa, é mister agendar um programa sério de visitas, de modo a alcançar toda a” membresia “da igreja”.
No exercício das visitas ele ficará conhecendo as necessidades do rebanho. Poderá, portanto, aplicar o remédio certo para a cura de suas ovelhas.

3- Aconselhamento Pastoral
Na vida de uma igreja local, muitos poderão ser os problemas vividos pelos membros; poderão ser: familiares, emocionais, conflitos entre os próprios membros e outros. O pastor precisará estar apto para exercer a função de Conselheiro. Esta área no Ministério Pastoral é de extrema relevância para o amadurecimento e crescimento da igreja local. No exercício desta função, o pastor precisará de sala própria com toda uma estrutura para receber suas ovelhas que precisam ser aconselhadas. Este espaço poderá também ser adaptado junto ao gabinete pastoral.

4- Presente nas Organizações e Programações da Igreja
O pastor precisa ter conhecimento, e estar ativo em todas as programações da igreja. Pastorear é também estar junto. Toda igreja local é constituída de organizações. Cada organização tem sua dinâmica própria de trabalho. Contudo, todas elas caminham para um único propósito, o da igreja local. Naturalmente, para ser bem sucedido ministerialmente o pastor deverá estar presente e ativo em todas as organizações e programações da igreja.

5- Devocional e Oração
“Para que esteja habilitado a bem cumprir sua missão, o Pastor não só precisa de mente brilhante, mas de coração movido por Deus”. Como “homem de Deus”, chamado para o Ministério, sua vida deverá ser de intimidade com a Palavra de Deus e Oração. O Pastor precisa estar sempre no Altar de Deus. Estando alimentado pela Palavra e vendo o agir de Deus através de sua vida de Oração, a igreja será grandemente abençoada.

6- A Vida do Pastor (I Tm 3.1-7)
Quando lemos em I Timóteo as qualificações que deve ter o Ministro de Deus, entendemos estar tudo relacionado ao testemunho do mesmo diante da igreja e dos de fora. A Bíblia é muito clara quanto ao padrão de vida que devemos ter. Não há meio termos. Não há como ajeitar as coisas. Ou se está na vontade do Senhor ou na do diabo.
Alguém falou que a igreja reflete a imagem de seu pastor. Se na vida de uma igreja o seu pastor não dá um bom testemunho, fatalmente os membros desta igreja também não darão bom testemunho. Eis algumas áreas nas quais o Pastor precisa dar um bom exemplo. O testemunho do pastor precisa ser de forma a glorificar o nome do Senhor.
Na área familiar
Na área financeira
Na maneira de se vestir
Na sua linguagem
Deve primar pela Verdade e Justiça
A igreja reflete a realidade vivida pelo seu pastor. Se ele for um padrão de bênçãos diante de Deus, naturalmente sua igreja também o será.

Conclusão:
As verdades apresentadas nesta breve análise têm como base a Palavra de Deus. Entendemos por Ela que o Ministério Pastoral representa uma grandiosa ferramenta de Deus, na caminhada de Sua Igreja aqui na Terra. Louvamos também ao Senhor Deus pelo nosso Grande PASTOR, o Senhor Jesus Cristo que é a Cabeça de Sua Igreja aqui na terra. (Ef. 5.23) Ele é quem governa a Sua Igreja. E como governante supremo Ele constituiu pastores que a estejam pastoreando em sua trajetória na anunciação da Glória de Deus, fazendo o próprio nome de Cristo conhecido em todo o Mundo.

01 maio 2012

O REINO DE DEUS

O REINO DE DEUS

Um reino é um lugar onde um rei governa. O Reino de Deus está onde quer que Deus reine, está sobre a vida de todos que lhe estão sujeitos.
O Reino de Deus é um Reino espiritual, Jesus Cristo disse: “O Reino de Deus está entre vós” (Lc 17.21). Onde quer que haja um que honre a Jesus Cristo, o Rei, e onde estiver o seu Espírito, lá está o Reino de Deus.

O maior pecado no Reino de Deus.
O maior pecado é o orgulho (Sl 59.12; Pv 8.13; 16.18; 29.23). Foi o orgulho que vez cair Satanás, ele pensou que poderia fazer algo melhor que Deus (Is 14.12-14; Ez 28.12-19).
O orgulho leva ao pecado da rebelião, quando tomamos uma atitude orgulhosa de realizarmos planos para a nossa vida e para todos ao redor, nós estamos em conflito com o plano de Deus. Por isso que está na Bíblia: “Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes” (Tg 4.6).
Se nós sentimos que não temos necessidades, nos tornamos auto-suficientes e então excluímos Deus da nossa vida. Assim o orgulho tira todas as bênçãos do Reino.

A maior virtude no Reino de Deus.
A humildade é a maior virtude no Reino de Deus. É ela que nos permite reconhecer que somos totalmente dependentes de Deus, que somos mortais, falíveis e que Deus é o Mestre do universo. As verdades do Reino são somente reveladas aos humildes.
Em Provérbios 22.4 está escrito: “O galardão da humildade e o temor do Senhor são riquezas, e honra, e vida”. E Cristo disse: “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus” (Mt 5.3).

Guardemos os nossos corações e sejamos humildes, deixando a cada dia Deus trabalhar nossas imperfeições e como Oleiro nos molde de acordo com o seu proposito.