"VOCÊS, TAMBÉM, COMO PEDRAS VIVAS, DEIXEM QUE DEUS OS USE NA CONSTRUÇÃO DE UM TEMPLO ESPIRITUAL ONDE VOCÊS SERVIRÃO COMO SACERDOTES DEDICADOS A DEUS. E ISSO PARA QUE, POR MEIO DE JESUS CRISTO, OFEREÇAM SACRIFÍCIOS QUE DEUS ACEITE." 1Pe 2:5

24 setembro 2012

Rei Salomão

O terceiro rei de Israel - décimo filho de Davi e o segundo que teve de Bate-Seba. O seu nascimento tinha sido anunciado nas palavras proféticas de Natã (2 Sm 7.12,13 ; 1Cr 22.8 a 10). Nasceu em Jerusalém, e pelo profeta foi chamado Jedidias ‘querido do Senhor’      (2 Sm 5.14 - 12.24,25). Quando Adonias, filho de Davi, sendo já seu pai mui velho, se levantou e disse ‘eu reinarei’ (1 Rs 1.5), Natã incitou a rainha Bate-Seba a que fizesse lembrar a Davi a sua promessa com respeito a Salomão. Imediatamente procedeu Bate-Seba neste sentido, falando nas pretensões de Adonias a Davi, que, informado do que se passava, mandou a Zadoque e a Natã que fosse ungido rei o seu filho Salomão. Os partidários de Adonias prontamente o abandonaram, mas Salomão não lhe fez então mal algum, mandando-o ir para sua casa (1 Rs 1.53 - 1 Cr 23.1). Mais tarde foi repetida a cerimônia da unção (1 Cr 29.22 a 25). Depois da morte de Davi (1 Rs 2.10), casou Salomão com uma filha do Faraó do Egito, trazendo-a para Jerusalém (1 Rs 3.1). Num sonho que teve, pediu a Deus que lhe dar sabedoria, recebendo então a promessa de abundantes bênçãos (1 Rs 3.5 a 15). A sua sabedoria, a sua piedade (1 Rs 3.16 a 28 - 5.5), o esplendor da sua casa, e a extensão do seu reino, espalharam longe a sua fama (1 Rs 10.1 a 13). Como tinha sido predito, foi ele que edificou o primeiro templo de Jerusalém (1 Rs 5.6 - 2 Cr 2 a 4), e um palácio para si - a Casa do Bosque do Líbano - um edifício para a rainha egípcia, sua mulher - o muro de Jerusalém, e várias cidades (1 Rs 3.1 - 7.1,2,8 - 9.15 a 19,24). Salomão e o seu povo gozaram de profunda paz durante o seu reinado, e em todos os seus domínios. Ele governou sobre todos os povos desde o Eufrates (e ainda mais para além deste rio) até ao Nilo. O seu exército era grande e achava-se bem equipado (1 Rs 4.26 - 10.26 - 2 Cr 1.14). De tal maneira ele protegeu o comércio que a Palestina se tornou rica, abundante em artigos de luxo (1 Rs 9.26 e 28 - 10.14,15,27 a 29). A sua casa tornou-se notável pela sua riqueza e esplendor (1 Rs 10.5 - cp. com Mt 6.29). Mas a prosperidade degenerou em voluptuosidade - a moral e a religião decaíram muito. Salomão tomou mulheres e concubinas em número de mil, havendo entre elas moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e hetéias. E de tal modo foi o seu coração pervertido por essas mulheres que ele chegou a adorar os falsos deuses, como Astarote dos sidônios, Moloque dos amonitas, e Camos dos moabitas, aos quais edificou templos no monte das oliveiras (1 Rs 11.1 e 2 - Ne 13.26). Os seus pecados trouxeram o castigo anunciado (2 Sm 7.14 - 1 Rs 11.9 a 13), e apareceram os inimigos (1 Rs 11.14 a 40), enevoando os seus últimos dias. Depois de ter reinado quarenta anos, morreu Salomão, sendo sepultado ‘na cidade de seu pai Davi’ (1 Rs 11.42,43 - 2 Cr 9.29 a 31).

2 comentários:

  1. Vim visitar seu blog e saber como vai.
    Seu blog é muito bom e fiquei entusiasmado, pois foi feito com muita graça, e com muito entusiasmo.
    Gostei do que li pois foi feito com gosto e carinho e muita graça.
    Sou António Batalha,
    Mas também a minha visita foi para desejar um Feliz-Natal e um Ano Novo cheio de saúde e muitas felicidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela visita e pelas palavras.
      Que 2013 seja um ano de realizações e que Deus realize todos os sonhos Dele em sua vida.

      Excluir